sábado, janeiro 20, 2018

Ritmo - Poema de Cecília Meireles




O ritmo em que gemo
doçuras e mágoas
é um dourado remo
por douradas águas.


Tudo, quando passo,
olha-me e suspira.
- Será meu compasso
que tanto os admira?



Cecília Meireles


Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo