domingo, 27 de dezembro de 2020

Tu és a Esperança - Poema de Eugénio de Andrade




Tu és a esperança, a madrugada.
Nasceste nas tardes de setembro
quando a luz é perfeita e mais doirada,
e há uma fonte crescendo no silêncio
da boca mais sombria e mais fechada.

Para ti criei palavras sem sentido,
inventei brumas, lagos densos,
e deixei no ar braços suspensos
ao encontro da luz que anda contigo.

Tu és a esperança onde deponho
meus versos que não podem ser mais nada.
Esperança minha, onde meus olhos bebem
fundo, como quem bebe a madrugada.


Eugénio de Andrade,
In: 'As Mãos e os Frutos'



segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Sonho de Natal




Que este Sonho de Natal
No seu sentido integral
Traga uma esperança contida
de amor e fraternidade
e recíproca amizade
p'ra ter mais sentido a vida.

Que termine o sofrimento
Daqueles cujo tormento
É de dor e opressão
Aos tristes dê alegria
E volte a dar companhia
A quem vive em solidão.

Do que o Natal nos traz
Que traga sem falta a paz
De que o mundo bem carece
P'ra que não permita a guerra
Nem haja fome na terra
E um Novo Mundo comece.

Que o Menino da bondade
Permita a realidade
De todos sermos iguais
Em sentimentos unidos
Faça que os dias vividos
Possam ser todos Natais.


Euclides Cavaco 



sábado, 19 de dezembro de 2020

As Rosas - Poema Sophia de Mello Breyner Andresen





Quando à noite desfolho e trinco as rosas
É como se prendesse entre os meus dentes
Todo o luar das noites transparentes,
Todo o fulgor das tardes luminosas,
O vento bailador das Primaveras,
A doçura amarga dos poentes,
E a exaltação de todas as esperas.


Sophia de Mello Breyner Andresen,
in "Obra Poética", Ed Caminho, Lisboa, 2010





segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Mar Português




Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.


Fernando Pessoa

sábado, 28 de novembro de 2020

Meu lírio roxo - Poema de Matilde Rosa Araújo




Vi sozinho
Num canteiro
Um lírio roxo...
Ai! a luz e o perfume da manhã!
E o meu rosto acabado de lavar!
E lá ficou,
Sozinho,
Num canteiro,
O meu lírio roxo,
Branco e transparente de alegria!


Matilde Rosa Araújo




segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Outonal - Poema de Florbela Espanca




Caem as folhas mortas sobre o lago;
Na penumbra outonal, não sei quem tece
As rendas do silêncio... Olha, anoitece!
- Brumas longínquas do País do Vago...

Veludos a ondear... Mistério mago...
Encantamento... A hora que não esquece,
A luz que a pouco e pouco desfalece,
Que lança em mim a bênção dum afago...

Outono dos crepúsculos doirados,
De púrpuras, damascos e brocados!
- Vestes a terra inteira de esplendor!

Outono das tardinhas silenciosas,
Das magníficas noites voluptuosas
Em que eu soluço a delirar de amor...


Florbela Espanca



domingo, 15 de novembro de 2020

Silêncio .... Fernando Pessoa





“Existe no silêncio uma tão profunda sabedoria que, às vezes, ele se transforma na mais perfeita resposta”.


Fernando Pessoa





sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Amo-te como quem ama a rosa





Amo-te como quem ama a rosa
Me aproximo
Sinto teu perfume
Rego-te
Te admiro
Mas não te tomo para mim
Pois ao tomar-te para mim
Eu veria tua beleza dissipando-se diante de mim
Faço-me, portanto, beija-flor
E beijo-te apenas
Nunca te carrego comigo
- Levo-te apenas dentro de mim...


Augusto Branco




sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Canção de Outono




Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.

De que serviu tecer flores
pelas areias do chão,
se havia gente dormindo
sobre o própro coração?

E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando áqueles
que não se levantarão...

Tu és a folha de outono
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.
Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão...


Cecília Meireles

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Metade - Oswaldo Montenegro





Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio
que a morte de tudo em que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
pois metade de mim é o que eu grito
mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
seja linda ainda que tristeza
que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
mesmo que distante
porque metade de mim é partida
mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que falo
não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor
apenas respeitadas como a única coisa
que resta a um homem inundado de sentimento
porque metade de mim é o que ouço
mas a outra metade é o que calo

Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz que eu mereço
que essa tensão que me corrói por dentro
seja um dia recompensada
porque metade de mim é o que penso
e a outra metade um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
que me lembro ter dado na infância
porque metade de mim é a lembrança do que fui
e a outra metade não sei

Que não seja preciso mais que uma simples alegria
pra me fazer aquietar o espírito
e que o teu silêncio me fale cada vez mais
porque metade de mim é abrigo
mas a outra metade é cansaço

Que a arte nos aponte uma resposta
mesmo que ela não saiba
e que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
porque metade de mim é platéia
e a outra metade é a canção

E que a minha loucura seja perdoada
porque metade de mim é amor
e a outra metade também.

Oswaldo Montenegro

sábado, 10 de outubro de 2020

Felicidade




A doce tarde morre. E tão mansa
Ela esmorece,
Tão lentamente no céu de prece,
Que assim parece, toda repouso,
Como um suspiro de extinto gozo
De uma profunda, longa esperança
Que, enfim cumprida, morre,descansa...

E enquanto a mansa tarde agoniza,
Por entre a névoa fria do mar
Toda a minhalma foge na brisa:
Tenho vontade de me matar!

Oh, ter vontade de se matar...
Bem sei é cousa que não se diz.
Que mais a vida me pode dar?
Sou tão feliz!

- Vem, noite mansa...


Manuel Bandeira
In O Ritmo Dissoluto




quinta-feira, 1 de outubro de 2020

A Voz do Búzio





A voz do Búzio

Eu trouxe da praia
Um búzio bonito
Que tem um segredo
Em que eu acredito

Lá dentro escondido
Alguém a chamar…
Ponho-o ao ouvido
Escuto a voz do mar

O mar e o sol
E a praia inteira
Guardados num búzio
Na minha algibeira


Mª Isabel Mendonça Soares




Pintura: Lucie Bilodeau

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Aqui sobre a Noite




Aqui sobre a noite,
na cinza das pálpebras,
no meio das rosas,
no sono das aves,
nas franjas da lua,
nas imóveis águas,

aqui, sobre a ténue
seda da saudade,
a perpétua face.

Sozinha contemplo
o ardente milagre.
Ninguém mais te avista,
Verónica suave!
-Desenho do sonho
que a noite reparte.

Por que me apareces
igual à verdade,
ilusória imagem?

Na minha alegria,
corre um mar de lágrimas.
Tudo se repete,
na terra e nos ares,
e os meus pensamentos
são só teu retrato.

Em puro silêncio,
luminosa jazes:
tão doce e tão grave!

Fita bem meu rosto,
guarda os olhos pálidos
com rios antigos
por onde viajaste.
Lembra-te da minha
sombra humana, diáfana,

-pode ser que um dia
todos nós passemos
pela Eternidade.


Cecília Meireles

domingo, 23 de agosto de 2020

Soneto - Alphonsus de Guimaraens




Deus é a luz celestial que os astros unge e veste,
E dessa eterna luz nós todos fomos feitos.
Um fulgor de orações brilha nos nossos peitos:
É o reflexo estelar dessa origem celeste.

O homem mais louco e vil, cuja alma ímpia se creste
Aos fogos infernais dos mais torpes defeitos,
De vez em quando sente esplendores eleitos,
Que tombam nele como o luar sobre um cipreste.

Quem não sentiu no peito a carícia divina,
A enchê-lo de clarões na transparência hialina
De um astro que cintila em pleno azul sem véus?

Tudo é luz na nossa alma, e o mais vil, o mais louco,
Bem sabe que esta vida é um sol que dura pouco
E que Deus vive em nós como dentro dos céus...


Alphonsus de Guimaraens


segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Espera - Poema de Eugénio de Andrade




Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.


Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.



Eugénio de Andrade
De As Mãos e os Frutos




segunda-feira, 20 de julho de 2020

O Silêncio





Há um grande silêncio que está à escuta...

E a gente se põe a dizer inquietamente qualquer coisa,
qualquer coisa, seja o que for,
desde a corriqueira dúvida sobre se chove ou não chove hoje
até a tua dúvida metafísica, Hamleto!

E, por todo o sempre, enquanto a gente fala, fala, fala
o silêncio escuta... 
e cala.”



Mário Quintana
Em “Esconderijos do Tempo



domingo, 12 de julho de 2020

Na procura a Paz Interior - Um Momento Zen




Na procura a Paz Interior - Um Momento Zen


De manhã à noite, passamos a vida a correr para conseguir realizar tudo aquilo que é necessário. Há sempre uma infinidade de assuntos a tratar nas mais diversas áreas da nossa vida, há sempre no nosso pensamento, uma preocupação latente por algo que é necessário resolver, ou mais grave ainda, por algo que está fora do nosso alcance mas cuja resolução é importante para nós. O que não há muitas vezes, é tempo para aliviar o stress diário, tempo para nós próprios. Hoje, para aliviar um pouco a nossa mente, vamos apenas deixar o nosso olhar divagar por imagens, que têm inerentes a si, momentos de harmonia, tranquilidade e paz.




Um momento Zen, uma pausa num SPA mesmo que virtual, ou junto da natureza, para relaxar, descontrair e acima de tudo para tentarmos encontrar a nossa paz interior que por vezes anda tão longínqua de nós ….





"Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo." (Buda)





"O segredo da saúde, mental e corporal, está em não se lamentar pelo passado, não se preocupar com o futuro, nem se adiantar aos problemas, mas, viver sabia e seriamente o presente." (Buda)

"A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta." (Buda)






"Feliz aqueles cujo conhecimento é livre de ilusões e superstições." (Buda)

"Persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de o atirar em alguém. É sempre quem levanta a pedra que se queima. " (Buda)







"A vida não é uma pergunta a ser respondida. É um mistério a ser vivido." (Buda)

"É capaz quem pensa que é capaz." (Buda)






"Só há um tempo em que é fundamental despertar. Esse tempo é agora." (Buda)

"Não viva no passado, não sonhe com o futuro, concentre a mente no momento presente." (Buda)





"Milhares de velas podem ser acesas de uma única vela, e a vida da vela não será encurtada. Felicidade nunca diminui ao ser compartilhada." (Buda)





Que a harmonia das fotografias tenham de alguma maneira contribuído para dar um pouco de tranquilidade e paz de espírito a cada pessoa que por aqui passe.




Fontes e Fotos: 1ms.net; outros net


Topo