terça-feira, setembro 24, 2019

Mar sonoro - Poema de Sophia de Mello Breyner





Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim.



Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, setembro 11, 2019

Evocação - Poema de Olympiades Guimarães Corrêa




Quando nasce a manhã cheia de graça
E a beleza da mata se irradia
Com o cantar da passarada
Surgem ténues raios de luz.
E o sol, ao longe, desponta.
É a alvorada que surge,
O doce e alegre amanhecer!


Olympiades Guimarães Corrêa
Em Neblina do Tempo


Topo