quinta-feira, maio 31, 2018

Garras dos sentidos




Não quero cantar amores,
Amores são passos perdidos.
São frios raios solares,
Verdes garras dos sentidos.

São cavalos corredores
Com asas de ferro e chumbo,
Caídos nas águas fundas.
Não quero cantar amores.

paraísos proibidos,
contentamentos injustos,
Feliz adversidade,
Amores são passos perdidos.

São demência dos olhares,
Alegre festa de pranto,
São furor obediente,
São frios raios solares.

Da má sorte defendidos
Os homens de bom juízo
Têm nas mãos prodigiosas
Verdes garras dos sentidos.

Não quero cantar amores
Nem falar dos seus motivos.


Autor Augustina  Bessa-Luís, In Garra dos Sentidos 98


segunda-feira, maio 28, 2018

Palco da Vida




Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior riqueza do mundo.
E  somente você pode evitar que ela vá a falência.
Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você.
Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões.
Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um não.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para falar eu errei.
É ter ousadia para dizer me perdoe.
É ter sensibilidade para expressar eu preciso de você.
É ter capacidade de dizer eu te amo.
É ter humildade da receptividade.
Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz . . .
E, quando você errar o caminho, recomece.
Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita.
Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um obstáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de factores a demonstrarem o contrário.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo . . .
                                                                                                 
Fernando Pessoa


segunda-feira, maio 21, 2018

Como as gaivotas




Esta onda cansada
depois do vendaval,
cheira à praia molhada,
cheira a marisco, a sal.

Traz notícias recentes
de centenas de milhas.
Inundou continentes,
brutal, desflorou ilhas.

Corais, búzios vazios,
conchas, algas em feixes,
destroços de navios
e carcaças de peixes.

Tudo à praia aportou:
bússola, gávea e leme.
A sereia apitou,
agora a onda geme.

Ante-aurora. Acordada,
sonho impossíveis rotas:
partir, de madrugada,
livre como as gaivotas.


 Fernanda de Castro       




                


domingo, maio 20, 2018

Teus Olhos Entristecem




Teus olhos entristecem
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem...
Não me ouves, e prossigo.

Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez...
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil.


Fernando Pessoa 


domingo, maio 13, 2018

Coroai-me de rosas






Coroai-me de rosas,
Coroai-me em verdade,
De rosas

Rosas que se apagam
Em fronte a apagar-se
Tão cedo!

Coroai-me de rosas
E de folhas breves.
E basta.


Ricardo Reis (Heterónimo de Fernando Pessoa)



sábado, maio 12, 2018

Pausas


"Na pausa não há música, mas a pausa ajuda a fazer a música".
Na melodia da nossa vida, a música é interrompida aqui e ali por "pausas"( períodos ou paradas forçadas que interrompem nossa vida, como perda de emprego, perda de um amor, doença, um plano fracassado, dedicação e esforço não reconhecidos por um chefe superior, etc)...


E nós, sem refletirmos, pensamos que a "melodia" de nossa vida terminou (ou que não há mais esperança em nossa vida e ficamos emocionalmente tristes, desanimados, desiludidos, com um sentimento de vazio ...).
Ficamos com esses sentimentos porque olhamos os acontecimentos somente pelo lado negativo e deixamos de ver que há um lado positivo: era preciso fazer uma pausa renovadora em nossa vida e olhar novos horizontes...


Quando você tiver uma "pausa" na música de sua vida, faça um esforço para não ficar olhando negativamente, levante a cabeça e acredite que essa pausa é positiva em sua vida. Certamente o que aconteceu é para o seu amadurecimento.
A pausa não está na música para ser passada por alto ou ser omitida, nem para atrapalhar a melodia ou alterar o tom. A pausa está ali para aprimorar .
Do mesmo modo a pausa que aconteceu em sua vida deve ter a sua finalidade.

Olhe para a grandeza do céu e do Universo e acredite que a música de sua vida foi planejada por uma divindade que a tudo criou. E que a pausa que aconteceu está ali exatamente para algum propósito, para que a sua vida continue...
O Universo conspira a seu favor...



Se você "sentir" a divindade no Universo e em você mesmo, "sentirá" que o compasso da música de sua vida está seguindo, ela não parou com a pausa, do mesmo modo que um maestro lê uma pausa: ele continua a marcar o compasso com a mesma precisão e toma a nota seguinte com firmeza, como se não tivesse havido interrupção alguma.

Por isso, tenha fé, firmeza e coragem, e acredite que a "música" de sua vida não acabou...


Aproveite a pausa que aconteceu para se preparar para "dar a volta por cima", recomeçando a sua vida com toda determinação e entusiasmo.
E do mesmo modo que compor uma música é trabalhoso e necessita de tempo e paciência, lembre-se que a pausa não dura muito, é apenas um tempo suficiente para que você se renove e continue... Ela apenas serve para continuar a música!
Olhe melhor a sua volta, viva a sua vida, considere a pausa apenas como um degrau para a evolução de sua vida! Volte a sorrir, a cantar, a amar e a ser feliz...


Texto: Autor desconhecido

sábado, maio 05, 2018

A bagagem


A BAGAGEM que levamos ao longo do nosso caminho pela vida, depende de cada um de nós.



Quando a tua vida começa, tens apenas uma malinha de mão...

À medida em que os anos vão passando, a tua bagagem vai aumentando...

Porque há muitas coisas que apanhaste pelo caminho, e que pensas que são importantes…
A determinada altura do caminho, começa a ser insuportável carregar tanta coisa…
É peso a mais!
Agora, tens de escolher:
Ficares sentado à beira do caminho, à espera que alguém te ajude – o que é muito difícil - porque todos os que passarem por ti, já têm a sua própria bagagem ou podes aliviar o peso, esvaziando a tua mala.

Mas, o que hás-de tirar?

Começa por tirar tudo cá para fora, para veres o que tens lá dentro...


AMIZADE, AMOR, CARINHO, TERNURA, COMPREENSÃO

Caramba!!!
Tens muita coisa...
E não pesa nada!!!


Espera!... Há aí uma coisa MUITO pesada...

Puxa-la para fora e...

É a RAIVA – e pesa imenso!!!

Continuas a puxar, e aparecem…
a INCOMPREENSÃO…
o MEDO…
o PESSIMISMO...


Nesta altura, o DESANIMO, que desponta, quase que te consegue meter dentro da mala...


Mas tu, puxa-lo para fora com toda a força e, logo a seguir, aparece o SORRISO, que estava quase sufocado lá no fundo...

Saltam para fora mais sorrisos e depois, sai a FELICIDADE...


Metes as mãos outra vez na mala e puxas para fora a TRISTEZA...

Agora, tens também de procurar a PACIÊNCIA lá dentro, pois vais precisar bastante dela...


A seguir, procura o resto:

o ENTUSIASMO
a  ESPERANÇA
o EQUILIBRIO
a CORAGEM



a FORÇA
a TOLERÂNCIA
a RESPONSABILIDADE
o BOM HUMOR
a FÉ


Tira também a PREOCUPAÇÃO e põe-na de lado…

Depois pensas no que hás-de fazer com ela...




Pronto!...
A bagagem está pronta para ser outra vez arrumada!

Um conselho! Pensa bem no que vais pôr lá dentro!!!

Isso agora é contigo...

Mas não te esqueças de fazer isto mais vezes, porque o caminho é muito, MUITO COMPRIDO.

Se quiseres, podes caminhar pela vida em PAZ...

É só saberes escolher o que queres levar na tua BAGAGEM!...

Fonte: email recebido


"Terminar o momento, encontrar o final da jornada em cada passo do caminho, viver o maior número de boas horas, é sabedoria." (Ralph Waldo Emerson)

sexta-feira, maio 04, 2018

Divagando em Violeta




Vamos parar por momentos a nossa rotina, abrir as janelas do coração e deixar o nosso espírito divagar pelo encanto, mistério, fascínio e magia do violeta.





"Em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos. " (Antoine Saint-Exupéry)




"Não procures a verdade fora de ti, ela está em ti, em teu ser. Não procures o conhecimento fora de ti, ele te aguarda em tua fé interior. Não procures a paz fora de ti, ela está instalada em teu coração. Não procures a felicidade fora de ti, ela habita em ti desde a eternidade. "( Mestre Khane )




“Se não consegues entender que o céu deve estar dentro de ti, é inútil buscá-lo acima das nuvens e ao lado das estrelas. Por mais que tenhas errado e erres, para ti haverá sempre esperança, enquanto te envergonhares de teus erros.” (Charlie Chaplin)





"A fragrância sempre permanece na mão de quem oferece flores."(Hadia Bejar)




“A vida revela-se ao mundo como uma alegria. Há alegria no jogo eternamente variado dos seus matizes, na música das suas vozes, na dança dos seus movimentos. A morte não pode ser verdade enquanto não desaparecer a alegria do coração do ser humano. ” Rabindranath Tagore




"O aspecto mais triste da vida de hoje é que a ciência ganha em conhecimento mais rapidamente que a sociedade em sabedoria." (Isaac Asimov)
Pensamentos e Fotos: Net
Topo