21/05/2022

Garras dos Sentidos - Poema de Agustina Bessa-Luís




Não quero cantar amores,
Amores são passos perdidos,
São frios raios solares,
Verdes garras dos sentidos.

São cavalos corredores
Com asas de ferro e chumbo,
Caídos nas águas fundas,
não quero cantar amores.

Paraísos proibidos,
Contentamentos injustos,
Feliz adversidade,
Amores são passos perdidos.

São demências dos olhares,
Alegre festa de pranto,
São furor obediente,
São frios raios solares.

Dá má sorte defendidos
Os homens de bom juízo
Têm nas mãos prodigiosas
Verdes garras dos sentidos.

Não quero cantar amores
Nem falar dos seus motivos.


Agustina Bessa-Luís


14/05/2022

Depois de um certo tempo




Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma,

E você aprende que amar não significa apoiar-se
e que companhia nem sempre significa segurança,

E você começa a aprender que beijos não são contratos
e que presentes não são promessas.

E você começa a aceitar as suas derrotas
com a cabeça erguida e olhos adiante,
com a graça de uma mulher e não com a tristeza de uma criança.

E você aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e os futuros costumam cair no meio do voo.

Depois de um tempo você aprende
que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.

Então você planta seu próprio jardim e decora a sua própria alma
em vez de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que você realmente pode resistir
que você é realmente forte
e que você realmente tem valor
E você aprende e aprende
com cada adeus você aprende ...


Verónica A. Shoffstall
Escrito aos 19 anos, no seu livro de formatura da escola, ao terminar o highschool




After a while

After a while you learn the subtle difference
between holding a hand and chaining a soul
And you learn that love doesn’t mean leaning
and company doesn’t mean security.
And you begin to learn that kisses aren’t contracts
and presents aren’t promises
And you begin to accept your defeats
with your head up and your eyes ahead
with the grace of a woman, not the grief of a child
And you learn to build all your roads on today
because tomorrow’s ground is too uncertain for plans
and futures have a way of falling down in mid-flight.

After a while you learn that even sunshine burns
if you get too much.

So you plant your own garden and decorate your own soul
instead of waiting for someone to bring you flowers.

And you learn that you really can endure
that you really are strong
and that you really do have worth
And you learn and you learn
with every goodbye you learn...


By Verónica A. Shoffstall




Este poema existe na Net com várias versões e atribuído erradamente a William Shakespeare



07/05/2022

Soneto da Saudade - Afonso Estebanez




Em minh’alma chove tanto
que não há como esconder
entre os olhos tanto pranto
que meu pranto faz chover...

Por encanto ou desencanto
em minh’alma é anoitecer
com saudade do teu canto
no encanto do amanhecer...

Num jardim sem claridade
mora em mim tua saudade
com o meu modo de viver...

E a saudade não consegue
esquecer que me persegue
para eu nunca te esquecer...


Afonso Estebanez



29/04/2022

Poema Aleluia - Mário Beirão





Se cantas, nasce o dia;
A luz segreda à flor: Ave, Maria!

Tudo é silêncio, espanto,
Quando vaga no Azul o teu encanto...

Passas e deixas no ar
O perfume das rosas de toucar!

Creio em ti, como em Deus;
Viver à tua luz é estar nos Céus!

Verdes enleios de hera
Cingem de amor teu vulto, ó Primavera!

Nos perdidos caminhos,
Voam gorjeios, músicas dos ninhos...

A Terra em névoas de ouro
Ascende a Deus em teu olhar de choro!

Senhora da Harmonia,
Em ti a minha vida principia!

Se voas pela Altura,
Gravas no Azul a tua formosura!

Teu voo é um longo adeus:
O caminho das almas para os Céus...

Longe, saudosa, adejas,
E pairas sobre mim... bendita sejas!


Mário Beirão
In Poesias Completas



23/04/2022

Poema Canção da Liberdade de Jacinta Passos




Eu só tenho a vida minha.
Eu sou pobre, pobrezinha,
tão pobre como nasci,
não tenho nada no mundo,
tudo o que tive, perdi.
Que vontade de cantar:
a vida vale por si.

Nada eu tenho neste mundo,
sozinha!
Eu só tenho a vida minha.

Eu sou planta sem raiz
que o vento arrancou do chão,
já não quero o que já quis,
livre, livre o coração,
vou partir para outras terras,
nada mais eu quero ter,
só o gosto de viver.

Nada eu tenho neste mundo,
sozinha!
Eu só tenho a vida minha.

Sem amor e sem saúde,
sem casa, nenhum limite,
sem tradição, sem dinheiro,
sou livre como a andorinha,
sua pátria é o mundo inteiro,
pelos céus cantando voa,
cantando que a vida é boa.

Nada eu tenho neste mundo,
sozinha!
Eu só tenho a vida minha.


Jacinta Passos



16/04/2022

Poema Amar - Carlos Drumond Andrade




Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer, amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal,
senão rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o cru,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e
uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuido pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor,
e na secura nossa amar a água implícita,
e o beijo tácito, e a sede infinita.


Carlos Drummond de Andrade




09/04/2022

Oração celta – Proteção - John O’Donohue





“Que a estrada se abra à sua frente,
Que o vento sopre levemente às suas costas,
Que o sol brilhe morno e suave em sua face,
Que a chuva caia de mansinho em seus campos.
E, até que nos encontremos novamente,
Que Deus lhe guarde na palma de suas mãos.”


Texto extraído do livro “Ecos Eternos” de John O’Donohue



02/04/2022

Poema Saudades - Odyla Paiva





Não há um dia que não lembre de você.
Saudade do seu abraço,
Saudade da sua voz,
Saudade de como você era para mim.

Não há um dia que não lembre de você.
Saudade de nossas conversas,
Saudade de seus recados ao telefone,
Saudade de saber você ao meu alcance.

Não há um dia que não lembre de você.
Saudade de fazer perguntas,
Saudade das suas respostas,
Saudade da sua atenção.

Não há um dia que não lembre de você.
Saudade de nossas saídas,
Saudade do “tudo bem”,
Saudade, saudade, saudade de você.


Odyla Paiva




26/03/2022

Poema - O Vento - Pedro Homem de Melo




O vento que dança
além sobre o mar
O vento é criança
e põe-se a brincar.

Ondas, uma a uma
atrás dele vão.
Faz da branca espuma
bolas de sabão.

Depois sobre a areia
tem novos brinquedos:
finge que incendeia
os mudos rochedos.

E sobe aos outeiros
e desce à planura.
Faz dos castanheiros
leque de verdura.

Vai mais longe o vento!
_Desprende, alivia
com seu movimento
cada pedra fria...


Pedro Homem de Melo



19/03/2022

Poema - Serena - Henriqueta Lisboa




Essa ternura grave
que me ensina a sofrer
em silêncio, na suavidade
do entardecer,
menos que pluma de ave
pesa sobre meu ser.

E só assim, na levitação
da hora alta e fria,
porque a noite me leve,
sorvo, pura, a alegria,
que outrora, por mais breve,
de emoção me feria.


Henriqueta Lisboa
in "Azul profundo"




12/03/2022

Poema - Saudades - Casimiro de Abreu





Nas horas mortas da noite
Como é doce o meditar
Quando as estrelas cintilam
Nas ondas quietas do mar;
Quando a lua majestosa
Surgindo linda e formosa,
Como donzela vaidosa
Nas águas se vai mirar!

Nessas horas de silêncio
De tristezas e de amor,
Eu gosto de ouvir ao longe,
Cheio de magoa e de dor,
O sino do campanário
Que fala tão solitário
Com esse som mortuário
Que nos enche de pavor.

Então - Proscrito e sozinho -
Eu solto aos ecos da serra
Suspiros dessa saudade
Que no meu peito se encerra
Esses prantos de amargores
São prantos cheios de dores:
Saudades - Dos meus amores
Saudades - Da minha terra!


Casimiro de Abreu




05/03/2022

Poema - Cantemos que a Vida - Fernando Pessoa




Cantemos que a vida
De nada nos serve
Que em nós a garrida
Canção desmedida
De vinho referve!

Cantemos, cantemos,
É medrosa a dor
E pegando em remos,
Buscando-as iremos
Às praias do amor!

Cantemos as belas
Que sabem amar,
Vamos que as estrelas,
Sem pudor ou cautelas
Nos vêm escutar!


Fernando Pessoa




26/02/2022

Poema - Talvez não saibas - Kátia Guerreiro




Talvez não saibas
Mas dormes nos meus dedos
De onde fazem ninhos as andorinhas
E crescem frutos ruivos e há segredos
Das mais pequenas coisas que são minhas

Talvez tu não conheças, mas existe
Um bosque de folhagem permanente
Aonde não te encontro e fico triste
Mas só de te buscar fico contente

Ao meu amor quem sabe se tu sabes
Sequer, se em ti existe, ou só demora
Ou são como as palavras essas aves
Que cantam o teu nome e a toda a hora

Talvez não saibas, mas digo que te amo
A construir o mar em nossa casa
Que é por ti que pergunto e por ti chamo
Se a noite estende em mim a sua asa

Talvez não compreendas, mas o vento
Anda a espalhar em ti os meus recados
E que há por do sol no pensamento
Quando os dias são azuis e perfumados

Oh meu amor quem sabe se tu sabes
Sequer, se em ti existe, ou só demora
Ou são como as palavras essas aves
Que cantam o teu nome e a toda a hora


Kátia Guerreiro





19/02/2022

Maria - Poesia de Gilberto Teles





Maria, há tanta Maria
cantando na minha vida.
Maria cheia de graça,
Maria cheia de vida.

Andei mundo, rodei terra,
cruzei os mares que havia
e, em cada canto da terra,
o amor eu tive, Maria.

Na vida que Deus me deu,
deu-me tudo o que eu queria:
deu-me esperança e me deu
o amor que eu sempre amaria.

Eis por que sempre há Maria
mariando na minha vida.
Maria cheia de graça,
Maria cheia de vida.


Gilberto Mendonça Teles



12/02/2022

Poema Amor Vivo - Antero de Quental





Amar! Mas
d um amor que tenha vida...
Não sejam sempre tímidos harpejos,
Não sejam só delírios e desejos
D uma doida cabeça escandecida...

Amor que viva e brilhe! Luz fundida
Que penetre o meu ser - e não só beijos
Dados no ar - delírios e desejos -
Mas amor...dos amores que tem vida...

Sim, vivo e quente! E já a luz do dia
Não virá dissipá-lo nos meus braços
Como névoa da vaga fantasia...

Nem murchará do sol a chama erguida ...
Pois que podem os astros dos espaços
Contra uns débeis amores... se têm vida ?

Antero de Quental




05/02/2022

Oração Celta – Que eu tenha hoje




Que eu tenha hoje, e a cada dia
A força dos céus
A luz do sol
O brilho da lua
O resplendor do fogo
A agilidade do vento
A profundidade do mar
A estabilidade da terra
E a firmeza da rocha.


Texto extraído do livro “Ecos Eternos” de John O’Donohue



28/01/2022

Poema Mar - Vinícios de Morais




Na melancolia de teus olhos
Eu sinto a noite se inclinar
E ouço as cantigas antigas
Do mar.

Nos frios espaços de teus braços
Eu me perco em carícias de água
E durmo escutando em vão
O silêncio.

E anseio em teu misterioso seio
Na atonia das ondas redondas
Náufrago entregue ao fluxo forte
Da morte.


Vinícius de Moraes



22/01/2022

Poema Eu vi uma rosa - Manuel Bandeira





Eu vi uma rosa
- Uma rosa branca -
Sozinha no galho.
No galho? Sozinha
No jardim, na rua

Sozinha no mundo.

Em torno, no entanto,
Ao sol de meio-dia,
Toda a natureza
Em formas e cores
E sons esplendia.

Tudo isso era excesso.

A graça essencial,
Mistério inefável
- Sobrenatural -
Da vida e do mundo,
Estava ali na rosa
Sozinha no galho.

Sozinha no tempo.
Tão pura e modesta,
Tão perto do chão,
Tão longe da glória
Da mística altura,
Dir-se-ia que ouvisse
Do arcanjo invisível
As palavras santas
De outra Anunciação.


Manuel Bandeira




15/01/2022

Depois - Marta Medeiros




Convencemo-nos que a vida será melhor depois...
depois de acabar os estudos,
depois de arranjar trabalho,
depois de casarmos,
depois de termos um filho,
depois de termos outro filho.

Então, sentimo-nos frustrados porque os nossos filhos ainda não são suficientemente crescidos e julgamos que seremos mais felizes quando crescerem e deixarem de ser crianças.

Depois, desesperamos porque são adolescentes,insuportáveis.

Pensamos: "Seremos mais felizes quando esta fase acabar!".

Então, decidimos que a nossa vida estará completa quando o nosso companheiro ou companheira estiver realizado...

Quando tivermos um carro melhor...
Quando pudermos ir de férias...
Quando conseguirmos uma promoção...
Quando nos reformarmos...

A verdade é que NÃO HÁ MELHOR MOMENTO PARA SER FELIZ DO QUE AGORA!
Se não for agora, então quando será?

A vida está cheia de depois...
É melhor admiti-lo e decidir ser feliz agora, de todas as formas. Não há um depois, nem um caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho e é AGORA!
Deixa de esperar até que acabes os estudos...
até que te apaixones...
até que encontres trabalho...
até que te cases...
até que tenhas filhos...
até que eles saiam de casa...
até que te divorcies...
até que percas esses 10kg...
até sexta-feira à noite ou Domingo de manhã...
até à Primavera, o Verão, o Outono ou o Inverno, ou até que morras...

para decidires então que não há melhor momento do que justamente ESTE para seres feliz!
A felicidade é um trajecto, não um destino.

Trabalha como se não precisasses de dinheiro...
Ama como se nunca te tivessem magoado e dança como se ninguém estivesse ver!


Martha Medeiros




08/01/2022

Sou Tudo, Sou Nada - Poema de Fernanda Maria (Fê blue bird)





SOU
PRESENÇA, SOMBRA
ÁRVORE, DESNUDADA
LIVRO, POEMA
PALAVRA IMAGINADA

SOU
TRIGO, SUSTENTO
TERRA ENCANTADA
COLO, ABRAÇO
MÃE PREOCUPADA

SOU
FUGA, CASA
AVE APRISIONADA
PINTURA, TELA
QUIMERA FALHADA

SOU
SOL, LUA
NOITE, MADRUGADA
PRINCÍPIO, FIM
SOU TUDO, SOU NADA


Fernanda Maria
(Fê blue bird)  
 do Livro "Só te Peço 5 Minutos"

Visitem o seu Blogue: “Só te Peço 5 Minutos”, um espaço onde nos perdemos no tempo, lendo e sentindo profundamente o que vai na alma da poetisa.
" Só escrevo o que me dita o coração"  (Fê blue bird) 



01/01/2022

Ser Feliz






Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e tornar-se autor da sua própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus em cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. E ter a coragem de ouvir um «não». É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. É beijar os filhos, ter prazer com os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.

Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para dizer «eu errei». É ter ousadia para dizer «perdoa-me». É ter sensibilidade para expressar «eu preciso de ti». E ter capacidade de dizer «eu amo-te».

Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades que lhe permita ser feliz...

Que nas suas primaveras você seja amante da alegria.

Que nos seus invernos você seja amigo da sabedoria.

E, quando errar o caminho, espero que recomece tudo de novo.

Pois assim será cada vez mais apaixonado pela vida.

E descobrirá que...

Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.

Nunca desista de si mesmo.

Nunca desista das pessoas que ama.

Nunca desista de ser feliz, pois a vida é um espectáculo imperdível.

E você é um ser humano especial.


Augusto Cury, in 'Dez Leis para Ser Feliz'



Topo