quarta-feira, fevereiro 28, 2018

Pudesse Eu - Poema de Sophia de Mello Breyner





Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!


Sophia de Mello Breyner Andreson


terça-feira, fevereiro 27, 2018

A Criança que Ri na Rua





A CRIANÇA que ri na rua,
A música que vem no acaso,
A tela absurda, a estátua nua,
A bondade que não tem prazo -

Tudo isso excede este rigor
Que o raciocínio dá a tudo,
E tem qualquer cousa de amor,
Ainda que o amor seja mudo


Fernando Pessoa


segunda-feira, fevereiro 26, 2018

Súplica - Poema de José Régio





Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.


Miguel Torga


Lições de VIDA em Banda Desenhada


Quando tu eras bem pequeno...




...eles gastavam horas a ensinar-te a usar os talheres nas refeições...




... ensinaram-te a vestir, a amarrar os cordões dos sapatos, a abotoar a camisa..




... limparam-te quando sujavas as fraldas, ensinaram-te a lavar o rosto e a tomar banho, a pentear os teus cabelos...




...ensinaram-te valores humanos ...




Por isso...




...quando eles ficarem velhos um dia ...




...quando eles começarem a ficar mais esquecidos e demorarem a responder ...




...não te chateies com eles ...




...quando eles começarem a esquecer-se de fechar os botões da camisa, de amarrar os cordões dos sapatos ...




...quando eles começarem a sujar-se nas refeições ...




...quando as mãos deles começarem a tremer enquanto penteiam cabelo ...




... por favor, não os apresses... Porque tu estás a crescer aos poucos, e eles estão a envelhecer ...




...basta a tua presença... a tua paciência... a tua generosidade... a tua retribuição ...




...para que os corações deles fiquem aquecidos ...




...se um dia eles não conseguirem equilibrar-se ou caminhar direito ...




...segura firmemente as mãos deles e acompanha-os bem devagar respeitando o ritmo deles durante a caminhada... da mesma forma que eles respeitaram o teu ritmo quando te ensinaram a andar...




Fica perto deles... Assim como...




...eles sempre estiveram presentes na tua vida, sofrendo por ti... Torcendo por ti...
e vivendo "POR TI"




“Não eduques o teu filho para ser rico, educa-o para ser feliz”.
“Assim ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO”
(Max Gehringer)


domingo, fevereiro 25, 2018

Passos





Quando se sentir perdido, lembre-se: todos sonham quando criança, então, resgate esta criança que está dentro de você e transforme seus sonhos em uma meta.

Quando o caminho a sua frente parecer longo e difícil, lembre-se: as mais longas trajetórias começam com um primeiro passo, então, dê o primeiro passo.




Quando se sentir sozinho no meio do caminho, lembre-se: você é dono de sua vontade e Deus nunca abandona seus filhos, então, dê mais um passo.

Quando ouvir alguém dizer que você não vai conseguir, lembre-se: se você realmente acredita que pode, você pode, então, dê mais um passo.

Quando o momento presente parecer difícil, lembre-se: para quem sabe por onde está indo, as intempéries somente fazem parte da trajetória.




Quando uma montanha for o obstáculo, lembre-se: a água quando não pode transpor uma barreira, a contorna e segue em frente; você tem o dom da flexibilidade.

Quando surgir um cruzamento à sua frente, lembre-se: é melhor ter escolha do que não ter nenhuma; escolha a siga em frente.

Quando a dúvida lhe invadir, lembre-se do que é mais importante para você, seus valores e princípios, e nisto, paute sua escolha.




Quando o passado se tornar pesado, lembre-se: deixe o passado para traz; se dirigirmos um carro olhando pelo retrovisor, sabemos de onde estamos vindo, mas não sabemos para onde estamos indo.

Quando perceber que tomou o caminho errado, lembre-se: somos responsáveis, estamos no local onde nós mesmos nos colocamos. Suas escolhas no passado te colocaram onde está. Suas escolhas de hoje determinarão onde estará no futuro.




Quando achares que esta caminhada não vale a pena, lembre-se: a felicidade não é somente um ponto de chegada e pode estar em nós por todo um caminho.

Quando se sentir preso, lembre-se: a liberdade está dentro de nós; podem amarrar nosso corpo, mas estamos onde nossa mente está e isso se chama livre arbítrio.




Quando chegar lá, comemore e lembre-se de traçar mais uma meta, continue a dar sentido à sua vida, use de seu poder de escolha e vontade e dê novamente o primeiro passo.

Isto só depende de você. Boa viagem!

Texto: Flávio Souza
Fotos: Net




"Atitude é uma pequena coisa que faz uma grande diferença." (Clarice Lispector)

As Fontes - Poema de Sophia de Mello Breyner




Um dia quebrarei todas as pontes
Que ligam o meu ser, vivo e total,
À agitação do mundo do irreal,
E calma subirei ate as fontes.

Irei até as fontes onde mora
A plenitude, o límpido esplendor
Que me foi prometido em cada hora,
E na face incompleta do amor.

Irei beber a luz e o amanhecer,
Irei beber a voz dessa promessa
Que às vezes como um vôo me atravessa,
E nela cumprirei todo o meu ser.


Sophia de Mello Breyner Andresen
in 'Poemas escolhidos'


sábado, fevereiro 24, 2018

Vela - Poema de Sophia de Mello Breyner




Em redor da luz
A casa sai da sombra
Intensamente atenta
Levemente espantada

Em redor da luz
A casa se concentra
Numa espera densa
E quase silabada

Em redor da chama
Que a menor brisa doma
E que um suspiro apaga
A casa fica muda

Enquanto a noite antiga
Imensa e exterior
Tece seus prodígios
E ordena seus milénios
De espaço e de silêncio
De treva e de esplendor 

Sophia de Mello Breyner Andresen

quinta-feira, fevereiro 22, 2018

Olha-me rindo uma criança





Olha-me rindo uma criança
E na minha alma madrugou.
Tenho razão, tenho esperança
Tenho o que nunca bastou. 


Bem sei. Tudo isto é um sorriso
Que e nem sequer sorriso meu.
Mas para meu não o preciso
Basta-me ser de quem mo deu.
Breve momento em que um olhar
Sorriu ao certo para mim…
És a memória de um lugar,
Onde já fui feliz assim.



Fernando Pessoa






Para Ti




Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida


Mia Couto, in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"



quarta-feira, fevereiro 21, 2018

Daí-me Rosas e Lírios - Poema de Fernando Pessoa





Dai-me rosas e lírios,
Dai-me flores, muitas flores
Quaisquer flores, logo que sejam muitas...
Não, nem sequer muitas flores, falai-me apenas

Em me dardes muitas flores,
Nem isso... Escutai-me apenas pacientemente quando vos peço
Que me deis flores...
Sejam essas as flores que me deis...

Ah, a minha tristeza dos barcos que passam no rio,
Sob o céu cheio de sol!
A minha agonia da realidade lúcida!
Desejo de chorar absolutamente como uma criança

Com a cabeça encostada aos braços cruzados em cima da mesa,
E a vida sentida como uma brisa que me roçasse o pescoço,
Estando eu a chorar naquela posição.

O homem que apara o lápis à janela do escritório
Chama pela minha atenção com as mãos do seu gesto banal.
Haver lápis e aparar lápis e gente que os apara à janela, é tão estranho!
É tão fantástico que estas coisas sejam reais!
Olho para ele até esquecer o sol e o céu.
E a realidade do mundo faz-me dor de cabeça.

A flor caída no chão.
A flor murcha (rosa branca amarelecendo)
Caída no chão...
Qual é o sentido da vida? 



Fernando Pessoa


segunda-feira, fevereiro 19, 2018

Hoje estou Triste, estou Triste




Hoje estou triste, estou triste.

Estarei alegre amanhã...
O que se sente consiste
Sempre em qualquer coisa vã.

Ou chuva, ou sol, ou preguiça...
Tudo influi, tudo transforma...
A alma não tem justiça,
A sensação não tem forma.


Uma verdade por dia...
Um mundo por sensação...
Estou triste. A tarde está fria.
Amanhã, sol e razão.



Fernando Pessoa


domingo, fevereiro 18, 2018

O peso de haver o mundo






Passa no sopro da aragem
Que um momento o levantou
Um vago anseio de viagem
Que o coração me toldou.

Será que em seu movimento
A brisa lembre a partida,
Ou que a largueza do vento
Lembre o ar livre da ida?

Não sei, mas subitamente
Sinto a tristeza de estar
O sonho triste que há rente
Entre sonhar e sonhar...


Fernando Pessoa

sábado, fevereiro 17, 2018

Amor visto pelas Crianças


Recebi um email tão lindo, que não podia deixar de o partilhar com todos os amigos que me visitam.



VISTO PELAS CRIANÇAS


«Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto o meu avô faz sempre isso por ela, mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amor.»
Rebeca, 8 anos


«Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa.»
Billy, 4 anos




«O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem.» (nem Sócrates, Descartes ou Freud diriam algo mais certo...)
Tommy, 6 anos


«A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir.»
Clare, 6 anos


«O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro.»
Karl, 5 anos


«O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele.»
Chrissy, 6 anos


«O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.»
Terri, 4 anos


«O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.»
Danny, 7 anos


«O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ainda queres estar ao pé daquela pessoa e falar com ela. O meu pai e a minha mãe são assim. »
Emily, 8 anos


«O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias.»
Noelle, 7 anos


«Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha.»
Elaine, 5 anos

«Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford.»
Chris, 7 anos


«Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia.»
Mary Ann, 4 anos tão querida


«Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti.» (quanta arte!)
Karen, 7 anos


"Nunca devemos dizer 'Amo-te', a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se.»
Jessica, 8 anos


E a última
Um rapazinho de quatro anos, cujo vizinho era um velhote que perdera recentemente a sua esposa. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do velhote, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse:
"Nada, só o ajudei a chorar".





"De todos os presentes da natureza para a raça humana, o que é mais doce para o homem do que as crianças?" (Ernest Hemingway)
Topo