domingo, dezembro 28, 2014

O Que Tu És - Poema de Florbela Espanca





És Aquela que tudo te entristece
Irrita e amargura, tudo humilha;
Aquela a quem a Mágoa chamou filha;
A que aos homens e a Deus nada merece.

Aquela que o sol claro entenebrece
A que nem sabe a estrada que ora trilha,
Que nem um lindo amor de maravilha
Sequer deslumbra, e ilumina e aquece!

Mar-Morto sem marés nem ondas largas,
A rastejar no chão como as mendigas,
Todo feito de lágrimas amargas!

És ano que não teve Primavera...
Ah! Não seres como as outras raparigas
Ó Princesa Encantada da Quimera!...


Florbela Espanca



Vê-de SENHOR






Vê-de Senhor, quanta gente
Nunca ouviu falar de vós.
Quanta gente não sabe
Que deve amar alguém
Senhor, aceitai-nos assim!

Vê-de Senhor, nós chegámos
Prontos a dar o que temos.
A vida alegre ou triste
O amor que em nós existe
Senhor, aceitai-nos assim!

Cântico Religioso




terça-feira, dezembro 23, 2014

Obrigado meu PAI



PAI eu te quero agradecer



Pai, hoje quero agradecer
Pela Lua e pelo Sol
Por acordar ao amanhecer
Com o canto do rouxinol

E quando estou sozinha
E o meu coração chora
A tua mão me acarinha
E o teu Amor me consola

Pai, hoje quero agradecer
Pelos pássaros a chilrear
Pelas árvores a florescer
Por sempre me acompanhar

Obrigado meu querido amigo
Por meu coração escutar
Ès o meu porto de abrigo
Contigo posso sempre contar

Pai, hoje quero agradecer
Pelas florestas e mar
Por me ajudares a aprender
Que o importante é Amar


Perdoa estas simples palavras
Poemas eu não sei escrever
Mas do fundo do coração
Eu Te quero AGRADECER



Obrigado meu PAI


Maria




“Se Deus não existisse, seria preciso inventá-lo.” Voltaire

domingo, dezembro 21, 2014

Provérbios Chineses




Provérbios Chineses

Se caíres sete vezes, levanta-te oito.


As pessoas arranjam todos os dias o cabelo.
Porque não o coração?


Escava o poço antes de teres sede.


A violência é o refúgio das mentes pequenas.




"O homem sábio é aquele que não se entristece com as coisas que não tem, mas rejubila-se com as que tem." (Epiteto)

terça-feira, dezembro 16, 2014

Canção da Fraternidade




Hoje é o dia da vitória e da verdade,
da nudez e da encarnação da história.
Vinde todos contemplar e adorar,
pousem armas porque a vida vai mudar.

O Menino que nasceu é Deus connosco,
povos todos exultai de alegria.
É o dia de criar um mundo novo
onde todos são iguais em harmonia.

Como borboletas que bebem das flores,
beberão das fontes da paz,
da Eucaristia e do perdão,
de todos os cantos da terra virão.

Todos, mãos nas mãos, diante do amor
chorarão esfomeados do perdão.
Com o coração a rebentar de ternura
serão o grande dia do Senhor.

Como a paz não se constrói sem liberdade,
e a verdade não se vive sem amor,
povos todos agarrai-vos ao que é vida
pois o mundo foi tomado p'lo Senhor.

Lá do alto veio a paz e a redenção,
fez-se homem o Deus vivo e verdadeiro.
Povos todos agarrai-vos ao que é vida
porque Deus está a nascer no mundo inteiro.

Vim ao mundo p'ra que todos tenham vida,
e esse pão vos alimento para sempre.
Eu vos mando o vosso mundo tranformar
p'ra que todos tenham vida plenamente.

Não existe maior prova de amor
que dar vida pela humanidade.
Esta mesma nos ensina a libertar
todo o homem oprimido e sem verdade.

Cântico Religioso


quinta-feira, dezembro 11, 2014

Fica Junto a Nós - Cântico Religioso




As sombras se desvanecem, e a noite cai
No horizonte se desprendem,
Os reflexos tão distantes de um dia
Que nasceu em nós e não terá fim
Porque sabemos que uma nova vida
Daqui partiu e nunca mais acabará.

Fica junto a nós, que em breve desce o sol
Fica junto a nós que o dia findará
Fica junto a nós e o sol se esconderá
Se estás entre nós, a noite não virá.

Como o mar se espraia, infinitamente
O vento soprará e abrirá
Os caminhos escondidos, tantos corações
Hão-de ver uma nova luz clara
Como uma chama que onde passa queima
O Teu amor todo o mundo invadirá.

À nossa volta a humanidade luta, sofre e anseia
Como um deserto, esta terra
Está sedenta de uma chuva de um céu azul
Sem ter nuvens mas que pode dar vida
Em Ti seremos nascentes de água viva
E Tu em nós esta terra inundarás!


Cântico Religioso


quarta-feira, dezembro 10, 2014

Perdoa Senhor




Perdoa, senhor, o nosso dia,
A ausência de gestos corajosos,
A fraqueza dos actos consentidos,
A vida dos momentos mal amados.

Perdoa o espaço que te não demos,
Perdoa porque não nos libertámos,
Perdoa as correntes que pusemos
Em ti, senhor, porque não ousámos.

Contudo, faz-nos sentir,
Perdoar é esquecer a antiga guerra.
E, partindo, recomeçar de novo,
Como o sol, que sempre beija a terra.



Cântico Religioso


segunda-feira, dezembro 08, 2014

O Senhor é meu Pastor





Confiarei nessa voz que não se impõe,
mas que eu ouço bem cá dentro no silêncio a segredar.
Confiarei, ainda que mil outras vozes
corram muito mais velozes, para me fazer parar.

E avançarei, avançarei no meu caminho.
Agora eu sei que tu comigo vens também.
Aonde fores, aí estarei, em Ti avançarei:

O Senhor é meu pastor,
sei que nada temerei.
Ele guia o meu andar,
sem medo avançarei.

Confiarei na Tua mão que não me prende,
mas que aceita cada passo do caminho que eu fizer.
Confiarei, ainda que o dia escureça
não há mal que me aconteça, se conTigo eu estiver.

E avançarei, avançarei no meu caminho.
Agora eu sei que tu comigo vens também.
Aonde fores, aí estarei, em Ti avançarei:

Confiarei, por verdes prados me levas,
e em Teu olhar sossegas a pressa do meu olhar.
Confiarei, a frescura das Tuas fontes
deixa a minha vida cheia, minha taça a transbordar.

E avançarei, avançarei no meu caminho
Agora eu sei que tu comigo vens também.
Aonde fores, aí estarei, em Ti avançarei.


Cântico Religioso



Voa a grande altitude



Não fiques na praia
Com o barco amarrado,
E medo do mar.
Tudo aqui é miragem,
Mas na outra margem
Alguém a esperar.

Como onda que morre,
Sozinha na praia,
Não fiques brincando.
No mar confiante,
Ensina o teu canto
De ave voando.

Voa bem mais alto,
Livre sem alforge
sem prata, nem ouro.
Amando este mundo,
Esta vida que é campo,
E esconde o tesouro.

Ninguém te ensinou
Mas no fundo tu sentes
Asas para voar.
Nem que o céu se tolde,
E as nuvens impeçam.
Tu não vais parar.

Há gente vivendo
Tranquila e contente,
Como eu já vivi.
És águia diferente,
Céu azul cinzento
Foi feito p’ra ti.

Voa bem mais alto,
Livre sem alforge
sem prata, nem ouro.
Amando este mundo,
Esta vida que é campo,
E esconde o tesouro.

Cânticos Religiosos



Topo