sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Canção de Outono




Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi.

De que serviu tecer flores
pelas areias do chão,
se havia gente dormindo
sobre o própro coração?

E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz.
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
velando e rogando áqueles
que não se levantarão...

Tu és a folha de outono
voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.
Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
menos que as folhas do chão...


Cecília Meireles

12 comentários:

  1. Bello poema otoñal amiga María.
    Un abrazo y buen fin de semana.

    ResponderEliminar
  2. El otoño siempre nos trae esa belleza de color y donde ocurre así
    es un bello paisaje para sentirse muy a gusto en medio de hojas amarillas

    ResponderEliminar
  3. Ler os versos de Cecília Meireles é sempre um enorme prazer. Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Grande Cecília...
    Boa semana Maria
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Belíssimo poema de Cecília Meireles! Obrigada, pela visita e comentário ao meu blogue.
    É um prazer grande conhecer este belo espaço poético. Virei mais vezes.
    Uma ótima semana!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. i love fall - this is so pretty. the poem and photo.

    ResponderEliminar
  7. Belíssimo poema!!
    Folhas de outono ao chão
    Adorei...
    Bom dia!

    ResponderEliminar
  8. Divagando pela poesia maravilhosa de Cecília Meireles, e deixando um beijinho de boa noite.
    Boa semana!

    Mário Margaride

    ResponderEliminar
  9. Sem dúvida um lindo poema!
    Bom fim de semana!
    Beijos e abraços!

    Mário Margaride

    ResponderEliminar
  10. Ternura e Amor de Cecília Meireles. Um encanto!


    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  11. Aprecio Cecília Meireles e este é um belo poema. Bem adequado à estação que vivemos.

    Beijo, Maria.

    ResponderEliminar

Topo