segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Mar Português




Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.


Fernando Pessoa

5 comentários:

  1. Muito bonito Maria
    Poema e imagem
    Realmente o mar tem seus perigos
    Mas é deslumbrante, um espelho realmente
    Boa semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Excelente este poema! Uma boa escolha:)
    **
    Estrada da vida
    -
    Beijo e uma excelente semana

    ResponderEliminar
  3. Me aparece un bello poema aunque no he podido traducirlo no se que pasa que no sale el traductor.
    Un abrazo María.

    ResponderEliminar
  4. Fernando Pessoa, um dos meus poetas preferidos!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Magnífico haveres trazido á ribalta o Mar Salgado. É Poema intemporal, magnífico.
    Obrigado.

    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar

Topo