quarta-feira, janeiro 24, 2018

Pedido - Poema de Miguel Torga





Ama-me sempre, como à flor do lírio
Bravo e sozinho, a quem a gente quer
Mesmo já seco na recordação.
Ama-me sempre, cheia da certeza
De que, lírio que sou da natureza,
Na minha altura eu brotarei do chão.



Miguel Torga, in 'Diário (1943)'




Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo