quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Perplexidade - Poema de António Cìcero






Não sei bem onde foi que me perdi;
talvez nem tenha me perdido mesmo,
mas como é estranho pensar que isto aqui
fosse o meu destino desde o começo.



António Cícero



Sem comentários:

Publicar um comentário

Topo