domingo, janeiro 21, 2018

Teia de Esperança - Poema de Isabel Gouveia





A teia tecida
nas noites de esperança,
rasgada e ferida,
segue a nossa andança.

E juntos, mãos dadas,
olhamos pra ela,
vontades paradas,
quais barcos sem vela.

Amigo, que o braço
cansado de tédio
ergamos no espaço!
É esse o remédio.

Depois de cerzidas,
não ficam marcadas
profundas feridas
em teias rasgadas!


Isabel Gouveia, in "Poemas Vários (1950-1975)"


Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo