quarta-feira, janeiro 17, 2018

Rios - Alvina Nunes Tzovenos





Rios de minh’alma
Caudalosos de amor,
Correntezas sem calma
Descolorindo-se
Às vezes em dor!

Nascentes tão puras,
Despejam venturas
Após desventuras,
Naufrágios de Amor!

Ontem turbulentos,
Hoje venturosos,
Amanhã silenciosos

...águas de sangue
...águas de luz!

Rios de minh’alma:
- desviastes tantos cursos
Buscando margens seguras ..!

Repousastes
Num eterno espraiar ...,


Alvina Nunes Tzovenos, in “Sonhos e vivencias”



Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo