sexta-feira, janeiro 19, 2018

Mar em Redor - Poema de Cecília Meireles





Meus ouvidos estão como as conchas sonoras:
música perdida no meu pensamento,
na espuma da vida, na areia das horas...


Esqueceste a sombra do vento
Por isso, ficaste e partiste,
e há finos deltas de felicidade
abrindo os braços num oceano triste.


Soltei meus anéis nos aléns da saudade.
Entre algas e peixes vou flutuando a noite inteira.
Almas de todos os afogados
chamam para diversos lados
esta singular companheira.



Cecília Meireles, in “Poesia Completa”



Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo