sábado, janeiro 13, 2018

Luz - Poema de Alfonsina Storni




Andei na vida pergunta fazendo
Morrendo de tédio, de tédio morrendo.

Riram os homens de meu desvario…
É grande a terra! Se riem… eu rio…

Escutei palavras; demasiadas palavras!
Umas são alegres, outras são macabras.

Não pude entendê-las; pedi as estrelas
Linguagem mais clara, palavras mais belas.

As doces estrelas me deram tua vida
E encontrei em teus olhos a verdade perdida

Oh! teus olhos cheios de verdades tantas,
Teus olhos escuros onde o universo meço!

Segura de tudo me jogo a teus pés:
Descanso e esqueço.

Alfonsina Storni

Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo