domingo, janeiro 21, 2018

Borboleta - Poema de Francisco Carvalho





Qual mensageiro da chuva,
a borboleta amarela
ou chega pelo telhado
ou entra pela janela. 
Como se fosse uma nuvem
que anuncia as tempestades,
traz os aromas do inverno
dentro das asas molhadas. 
Nas paredes, nos retratos
pousa o corpo de veludo.
Ali permanece imóvel
à espera dos ventos frios.
Só regressa quando chove
nas cabeceiras dos rios.


Francisco Carvalho


Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo