domingo, março 25, 2018

A Hora da Partida - Poema de Sophia de Mello Breyner




A hora da partida soa quando
Escurece o jardim e o vento passa,
Estala o chão e as portas batem, quando
A noite cada nó em si deslaça.

A hora da partida soa quando
as árvores parecem inspiradas
Como se tudo nelas germinasse.

Soa quando no fundo dos espelhos
Me é estranha e longínqua a minha face
E de mim se desprende a minha vida.


Sophia de Mello Breyner Andresen 

6 comentários:

  1. Tão lindo e tão triste. Leio e releio. Comovo-me. Obrigada.

    ResponderEliminar
  2. MAria
    Sempre que leio um poema de Sofia de Mello Breyner Andersen, reflicto no seu pensamento.
    Quanto a mim, o pior passou, obrigado.
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Nossa! Quão profundo escreve
    essa moça, gente.

    Beijos, M. Rodrigues e bom
    dia. Ah, "tô" te seguindo...

    silvioafonso


    .

    ResponderEliminar
  4. Oi Maria,
    Que linda poesia!
    Fiquei emocionada
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  5. Sou sem dúvida nenhuma um fã da Sophia de Mello Breyner Andresen e mesmo sei de cor uma poema da Sophia .
    abraços

    ResponderEliminar

Topo