sábado, outubro 26, 2019

Paz - Poema de Natália Correia




Irreprimível natureza
exacta medida do sem-fim
não atinjas outras distâncias
que existem dentro de mim.

Que os meus outros rostos não sejam
o instável pretexto da minha essência.
Possam meus rios confluir
para o mar duma só consciência.

Quero que suba à minha fronte
a serenidade desta condição:
harmonia exterior à estátua
que sabe que não tem coração.


Natália Correia, in "Poemas (1955)"


4 comentários:

  1. Amei o Poema! Obrigada

    -
    O Tempo caminha sozinho...
    .
    Blogue dos meus tesouros:- https://imagensquedispensampalavras.blogspot.com/
    Beijos. Bom Domingo!

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia este poema, as adorei!!! Obrigada pela partilha.
    Votos de uma semana feliz!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Poema brilhante. Sem dúvida escrito por uma enorme poetisa, como foi Natália Correia
    A foto é deslumbrante

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  4. Poems rarely when I like to read your poem has an interesting effect like the loneliness that can be used to create nature in the form of capturing nature photography of the fruit of the portraits of the architect.

    ResponderEliminar

Topo