domingo, agosto 12, 2018

Tarde no Mar




A tarde é de oiro rútilo: esbraseia
O horizonte: um cacto purpurino.
E a vaga esbelta que palpita e ondeia,
Com uma frágil graça de menino,

Poisa o manto de arminho na areia
E lá vai, e lá segue ao seu destino!
E o sol, nas casas brancas que incendeia.
Desenha mãos sangrentas de assassino!

Que linda tarde aberta sobre o mar!
Vai deitando do céu molhos de rosas
Que Apolo se entretém a desfolhar...

E, sobre mim, em gestos palpitantes,
As tuas mãos morenas, milagrosas,
São as asas do sol, agonizantes...


Florbela Espanca

6 comentários:

  1. Oi Maria
    Que poesia linda!
    Você tem bom gosto e isso é o essencial
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  2. Hi Maria.

    Although the translation of the words 'beauty' of the words is blurred, it is still a very beautiful poem.

    Groettie from Patricia.

    ResponderEliminar
  3. https://poemasdaminhalma.blogspot.com
    Boa noite, querida Maria!
    Maravilhosa poesia, de "Flor Bela Espanca", que nos delicia com uma bela tarde de oiro no mar.
    Gostei imenso, dessa bela escolha poética.
    Beijinho e bom inicio de semana.
    Luisa

    ResponderEliminar
  4. Poesia assim, só podia ser da nossa Florbela Espanca. Como gostei !
    Tentando que esta pausa seja Serena , aqui deixo o meu abraço carinhoso , Maria ❤️

    ResponderEliminar
  5. Hello Maria,
    When reading this text I got tears in my eyes.
    I had to think of my dear grandson Jahnay but also realize that it should be like that.
    The sea is where I often come now to let my thoughts blow away.
    Warm hugs

    ResponderEliminar
  6. Bella forma de despedirse del día
    el sol huido dejando su huella

    ResponderEliminar

Topo