domingo, 19 de abril de 2020

História





Toda história tem seu texto
tem seu pretexto e pronúncia.
Tem seu remorso, seu sexto
sentido de arte e denúncia.

Tem um sujeito que a escolhe

que se encolhe e se confunde:
um lugar que sempre a tolhe
qui tollis peccata mundi.

Tem sua forma em processo,

tem seu recesso e cansaço,
e tem seu topo de excesso
no ponto extremo do escasso.

Tem sua língua felpuda,

a voz aguda e afetada.
R tem a essência que muda
e permanece, calada.

Toda história tem seu preço,

tem seu começo e seu dito.
É só virar pelo avesso,
ler o que está subscrito.


Gilberto Mendonça Teles

3 comentários:

  1. Mais palavras para quê!. Poema deslumbrante.

    Tenha um domingo feliz

    ResponderEliminar
  2. Uma escolha perfeita! Obrigada. Maria! :)
    -
    Mundo ao contrário ...
    -
    Beijos e um excelente Domingo

    ResponderEliminar
  3. Olá, Maria!
    Espero que a Maria, marido, filhos e netos estejam de saúde e longe da Covid-19. Eu estou bem e em casa há um mês e meio.

    Não conheço este poeta, que tem muito jeito para andar "às voltas" com a palavra história. De facto, nem toda a história consta na História, mas toda a história escrita parece subscrita.

    Beijos, saúde e cuidem-se!

    ResponderEliminar

Topo