sábado, 1 de maio de 2021

Poema - O Mar Jaz - Ricardo Reis




O mar jaz. Gemem em segredo os ventos
Em Éolo cativos,
Apenas com as pontas do tridente
Franze as águas Neptuno,
E a praia é alva e cheia de pequenos
Brilhos sob o sol claro.
Eu quisera, Neera, que o momento,
Que ora vemos, tivesse
O sentido preciso de uma frase
Visível nalgum livro.
Assim verias que certeza a minha
Quando sem te olhar digo
Que as cousas são o diálogo que os deuses
Brincam tendo connosco.
Se esta breve ciência te coubesse,
Nunca mais julgarias
Ou solene ou ligeira a clara vida,
Mas nem leve nem grave,
Nem falsa ou certa, mas assim, divina
E plácida, e mais nada.

Ricardo Reis, "Odes"
Heterónimo de Fernando Pessoa





4 comentários:

  1. Solo un Dios existe que mueve todas las cosas de su creación.

    Abrazos.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia de sábado, querida amiga Maria!
    O mar sagrado inspira belos poemas.
    Que seu Dia seja de descanso do trabalho que dignifica!
    Tenha um ótimo Feriado!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderEliminar
  3. Um poema tão bonito este poema. Obrigada pela partilha! :))
    ~~
    Coisas de uma Vida
    ~
    Beijo, e um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Olá Maria
    Belíssimo poema
    Eu amo o mar, e todos os seus mistérios
    Sua calma, sua fúria
    Bom final de semana
    Beijos

    ResponderEliminar

Topo