sábado, 15 de maio de 2021

Quadras da Minha Solidão




Fica longe o sol que vi,
aquecer meu corpo outrora...
Como é breve o sol daqui!
E como é longa esta hora...

Donde estou vejo partir
quem parte certo e feliz.
Só eu fico. E sonho ir,
rumo ao sol do meu país...

Por isso as asas dormentes,
suspiram por outro céu.
Mas ai delas! tão doentes,
não podem voar mais eu...

que comigo, preso a mim,
tudo quanto sei de cor...
Chamem-lhe nomes sem fim,
por todos responde a dor.

Mas dor de quê? dor de quem,
se nada tenho a sofrer?...
Saudade?...Amor?...Sei lá bem!
É qualquer coisa a morrer...

E assim, no pulso dos dias,
sinto chegar outro Outono...
passam as horas esguias,
levando o meu abandono...


Alda Ferreira Pires Barreto de Lara Albuquerque



8 comentários:

  1. Excelente poema! Parabéns pela escolha e obrigada pela partilha! :)
    -
    Neste sossego aonde me permito esperar ...
    -
    Beijos e um excelente fim de semana!

    ResponderEliminar
  2. Pasar momentos dolorosos es de todo ser, saber afrontar es también la dura batalal que se tiene cada día y si se busca en el amor del Señor junto a su Madre , seguro que seremos consolados a tiempo y volver a estar bien.
    Te dejo un abrazo.

    ResponderEliminar
  3. Boa noite de sábado, querida amiga Maria!
    Saudade tem um misto indefinido. Aperta na solidão.
    Tenha um domingo abençoado!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderEliminar
  4. Olá Maria
    Às vezes é assim mesmo...
    São momentos
    Bonito poema.
    Beijo e bom final de semana.

    ResponderEliminar
  5. Vivir momentos buenos y malos, tanto unos como otros y sobre todo en los malos debemos ser capaces de sobrellevar.
    Excelente poema.
    Un fuerte abrazo Maria y buena semana.

    ResponderEliminar
  6. Lindo poema, parabéns à autora, e a dona do Blog pelo bom gosto da publicação.
    Gostei daqui.

    Abraços, amiga.

    ResponderEliminar
  7. Um texto muito bem elaborado revelando inquietudes próprias de quem vive num incómodo desassossego.
    Abraço poético.
    Juvenal Nunes

    ResponderEliminar
  8. Alda Lara? Creio que sim...uma grande poeta angolana...mas não conhecia este belo poema.
    Um beijo amigo

    ResponderEliminar

Topo