sábado, julho 06, 2019

Leve, Leve, o Luar - Afonso Lopes Vieira





Leve, leve, o luar de neve
goteja em perlas leitosas,
o luar de neve e tão leve
que ameiga o seio das rosas.

E as gotas finas da etérea
chuva, caindo do ar,
matam a sede sidéria
das coisas que embebe o luar.

A luz, oh sol, com que alagas,
abre feridas, e a lua
vem pôr no lume das chagas
o beijo da pele nua.


Afonso Lopes Vieira, in 'País Lilás, Desterro Azul'

6 comentários:

  1. Sempre belas as escolhas!
    Peço desculpa por fazer a visita com mensagem copypast, mas não me tem sido permitido fazer melhor...Não obstante, desejo-vos um excelente fim de semana.
    Beijos
    VIDA

    ResponderEliminar
  2. Bom dia de paz, querida amiga María!
    Lindo poema voce nos partilha e agradeco muito.
    Poema e imagem delicados.
    Tenha uma nova semana abencoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Que beleza de partilha amiga Maria,
    Vc sabe como agradar o leitor , suas escolhas são de muito bom gosto!

    Boa ttardinha e feliz domingo!
    Bjss

    ResponderEliminar
  4. Também adorei ler esse poema de Afonso L.Vieira e imagem!
    Beijo, querida, bom domingo!

    ResponderEliminar
  5. Maria, gostei dos teus escritos. Parabenizo pela criatividade e sensibilidade... Poesia é algo que se sente e tu passa muito bem o que guardas dentro de ti.
    Passei a lhe seguir. Até a próxima!

    ResponderEliminar
  6. É um poema que se desenha nos lábios. Boa escolha, amiga!

    Beijos.

    ResponderEliminar

Topo