terça-feira, dezembro 04, 2018

Lembrança





Fui Essa que nas ruas esmolou
E fui a que habitou Paços Reais;
No mármore de curvas ogivais
Fui Essa que as mãos pálidas poisou...

Tanto poeta em versos me cantou!
Fiei o linho à porta dos casais...
Fui descobrir a Índia e nunca mais
Voltei! Fui essa nau que não voltou...

Tenho o perfil moreno, lusitano,
E os olhos verdes, cor do verde Oceano,
Sereia que nasceu de navegantes...

Tudo em cinzentas brumas se dilui...
Ah, quem me dera ser Essas que eu fui,
As que me lembro de ter sido... dantes!...


Florbela Espanca


3 comentários:

  1. Beautiful picture! Have a lovely week!

    ResponderEliminar
  2. https://poemasdaminhalma.blogspot.com/
    Olá querida Maria!
    Que ausência de ambas as partes, também estive afastada bastante tempo, agora voltei amiga e confesso que já tinha saudade disto mesmo.
    Uma magnífica poesia, de Florbela Espanca. gostei imenso.
    Beijinho de paz e amor, estamos em época de Natal.
    Feliz fim de semana!
    Luisa

    ResponderEliminar
  3. Linda poesia.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderEliminar

Topo