domingo, junho 24, 2018

O Amor




O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de *dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar.


Fernando pessoa 


3 comentários:

  1. siempre digo
    el amor es algo tan disímil cuando lo queremos atrapar
    y si es un ave libre ...
    el mejor amor vive en ti.

    ResponderEliminar
  2. Beautiful LOVE, and the poem, wonderful Maria.

    ResponderEliminar
  3. Este Fernando, que ademais é Pessoa, tinha uma sensibilidade única, por isso expressa o AMOR com tal paixão.
    Sempre, não pode ser doutra maneira, o meu urra ao AMOR.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Topo